Tropas

Seguramente que usando a metáfora militar para se referir ao conjunto de pessoas que rodeiam qualquer um de nós, a importância de ter sempre pessoas presentes à nossa volta, independentemente de haver ou não a circunstância que o justifique. Será difícil dizer se tais ensinamentos se aplicam efetivamente a tropas em contextos de guerra e afins, mas fica tal mensagem para o comum dos civis.

Anúncios

Adágios populares

Um dos mais conhecidos adágios populares portugueses é precisamente o “Antes só que mal acompanhado”, remetendo para a virtude de mantermo-nos longe de quem não nos traz benefícios e preferindo jogar pelo seguro, mesmo que por conta própria. Este ensinamento aplica-se então a várias esferas da nossa vida e não costuma ser posta em causa, sendo certamente um dos valores mais seguros no mercado da sabedoria popular portuguesa, não sendo por isso de estranhar que também servisse de mote para pintar uma parede, existindo aqui uma espécie de ponte entre conhecimento ancestral e as novas formas de comunicação. São pintaínhos, é certo, mas também para eles é um ensinamento válido.

O cidadão José Sócrates

No momento em que estas linhas são escritas, é discutida a possibilidade de José Sócrates sair da prisão de Évora, onde está detido preventivamente, substituindo a atual medida de coação pelo uso de pulseira eletrónica no conforto do lar. Medidas processuais à parte, é inegável que o antigo Primeiro-Ministro fica inevitavelmente ligado a este processo, independentemente de qual venha a ser a resposta dada pela Justiça, ganhando uma reputação certamente pouco invejável. Epítetos como “ladrão”, “corrupto”, “chupista” ou outros que são usados no debate político de tasca ou nos fóruns das redes sociais são coisas pouco simpáticas para serem associados a alguém e, para boa parte da população, nem será necessário julgamento para provar que as acusações são verdade. Como atesta esta lacónica mensagem.